Católico e a política

Envolver-se na política é uma obrigação para um cristão.” conforme nos lembra sua santidade o Papa Francisco. Também vemos a importância deste envolvimento no Catecismo da Igreja Católica como nos parágrafos §2246, §2245, §899, §1901, §1902, entre outros, bem como no Código de Direito Canônico e em documentos dos Santos Padres como os do Concílio Vaticano Segundo.

 

Neste site você poderá conferir separadamente vários aspectos da vida política do povo de Deus. Aqui vale ressaltar que existem três formas de se praticar a política, vamos vê-las e entendê-las.

 

 

Política indireta

É todo comportamento que interfere nos direitos e deveres dos outros cidadãos de nossa nação. Este tipo de política é praticado por todos, queira ou não.

Jogar um lixo no chão ou na lixeira é uma forma de aplicar a política indireta. Podemos também chamar este tipo de política como cidadania.

É dever do povo católico obedecer as leis do país sendo exemplo de cidadão, mas esta regra tem uma excessão em que o católico é obrigado a justamente desobedecer a lei, conforme explica o parágrafo §2242 do Catecismo. Essa excessão se aplica às regras que vão contra as exigências da ordem moral, aos direitos fundamentais das pessoas (natureza humana) ou aos ensinamentos do Evangelho.

Política direta

Está relacionada a participação ativa no período eleitoral através de conversas, assistir aos debates, pesquisar e estudar os candidatos e finalmente aplicar o voto. Também faz parte deste tipo de política a participação em manifestações e outros direitos, de forma ordenada e sempre defendendo os três itens fundamentais citados anteriormente, a constar as exigências da ordem moral, os direitos fundamentais das pessoas e os ensinamentos do Evangelho.

Todo católico deve exercer este tipo de política.

Política ativa

Se refere à participação da política como candidato à cargos políticos, defendendo, novamente, os três itens fundamentais já citados. Não é dever dos padres e religiosos participar deste tipo de política como prevê o Código de Direito Canônico nos canons 285 e 287.

Por isso é dever dos leigos, especialmente quando sentem o chamado, a participar da política ativa e partidária. Este chamado se agrava nos tempos que passamos no Brasil onde cada vez menos há a participação de católicos e cada vez mais políticas seculares tomam conta do país.

Se você sente o chamado para a política ativa estude, prepare-se e aja! Conte com o apoio da equipe “Santa Política” para seu estudo e lembre-se de manter sempre contato com seu diretor espiritual para tomar as decisões certas para seu país, estado e município.